Atalho do Facebook

Total de visualizações de página

9 de ago de 2011

Selinho - Celebrando a Vida

Lindo...é lá do Madeira Tinta e Arte...

18 de jul de 2011

Educação de filhos.

Não existe faculdade, ou curso preparatório para aprendermos a ser pais e mães...é no dia a dia e baseado no amor que sentimos pelos nossos filhos que agimos com as melhores intenções, no entanto muitas vezes erramos tanto pelo pelo excesso de zelo, de amor e/ou superproteção.
Felizmente existem estudiosos que nos auxiliam nessa missão extraordinária que é "educar".

Dr. Içami Tiba, psiquiatra.

,
1. A educação não pode ser delegada à escola.
Aluno é transitório.
Filho é para sempre.

2. O quarto não é lugar para fazer criança cumprir castigo.
Não se pode castigar com internet, som, tv, etc...

3. Educar significa punir as condutas derivadas de um comportamento errôneo. Queimou índio pataxó, a pena (condenação judicial) deve ser passar o dia todo em hospital de queimados.

4. É preciso confrontar o que o filho conta com a verdade real.
Se falar que professor o xingou, tem que ir até a escola e ouvir o outro lado, além das testemunhas.

5. Informação é diferente de conhecimento.
O ato de conhecer vem após o ato de ser informado de alguma coisa.
Não são todos que conhecem.
Conhecer camisinha e não usar significa que não se tem o conhecimento da prevenção que a camisinha proporciona.

6. A autoridade deve ser compartilhada entre os pais.
Ambos devem mandar. Não podem sucumbir aos desejos da criança. Criança não quer comer? A mãe não pode alimentá-la. A criança deve aguardar até a próxima refeição que a família fará. A criança não pode alterar as regras da casa. A mãe NÃO PODE interferir nas regras ditadas pelo pai (e nas punições também) e vice-versa. Se o pai determinar que não haverá um passeio, a mãe não pode interferir. Tem que respeitar sob pena de criar um delinquente.

7. Em casa que tem comida, criança não morre de fome .
Se ela quiser comer, saberá a hora.
E é o adulto quem tem que dizer QUAL É A HORA de se comer e o que comer.

8. A criança deve ser capaz de explicar aos pais a matéria que estudou e na qual será testada. Não pode simplesmente repetir, decorado. Tem que entender.

9. É preciso transmitir aos filhos a ideia de que temos de produzir o máximo que podemos. Isto porque na vida não podemos aceitar a média exigida pelo colégio: não podemos dar 70% de nós, ou seja, não podemos tirar 7,0.

10. As drogas e a gravidez indesejada estão em alta porque os adolescentes estão em busca de prazer. E o prazer é inconsequente.

11. A gravidez é um sucesso biológico e um fracasso sob o ponto de vista sexual.

12. Maconha não produz efeito só quando é utilizada. Quem está são, mas é dependente, agride a mãe para poder sair de casa, para fazer uso da droga . A mãe deve, então, virar as costas e não aceitar as agressões. Não pode ficar discutindo e tentando dissuadi-lo da idéia. Tem que dizer que não conversará com ele e pronto. Deve 'abandoná-lo'.

13. A mãe é incompetente para 'abandonar' o filho. Se soubesse fazê-lo, o filho a respeitaria. Como sabe que a mãe está sempre ali, não a respeita.

14. Se o pai ficar nervoso porque o filho aprontou alguma coisa, não deve alterar a voz. Deve dizer que está nervoso e, por isso, não quer discussão até ficar calmo. A calmaria, deve o pai dizer, virá em 2, 3, 4 dias. Enquanto isso, o videogame, as saídas, a balada, ficarão suspensas, até ele se acalmar e aplicar o devido castigo.

15. Se o filho não aprendeu ganhando, tem que aprender perdendo.

16. Não pode prometer presente pelo sucesso que é sua obrigação. Tirar nota boa é obrigação. Não xingar avós é obrigação. Ser polido é obrigação. Passar no vestibular é obrigação. Se ganhou o carro após o vestibular, ele o perderá se for mal na faculdade.

17. Quem educa filho é pai e mãe. Avós não podem interferir na educação do neto, de maneira alguma. Jamais. Não é cabível palpite. Nunca.

18. Muitas são desequilibradas ou mesmo loucas. Devem ser tratadas. (palavras dele).

19. Se a mãe engolir sapos do filho, ele pensará que a sociedade terá que engolir também.

20. Videogames são um perigo: os pais têm que explicar como é a realidade, mostrar que na vida real não existem 'vidas', e sim uma única vida. Não dá para morrer e reencarnar. Não dá para apostar tudo, apertar o botão e zerar a dívida.

21. Professor tem que ser líder. Inspirar liderança. Não pode apenas bater cartão.

22. Pais e mães não pode se valer do filho por uma inabilidade que eles tenham. 'Filho, digite isso aqui pra mim porque não sei lidar com o computador'. Pais têm que saber usar o Skype, pois no mundo em que a ligação é gratuita pelo Skype, é inconcebível pagarem para falar com o filho que mora longe.

23. O erro mais frequente na educação do filho é colocá-lo no topo da casa. O filho não pode ser a razão de viver de um casal. O filho é um dos elementos. O casal tem que deixá-lo, no máximo, no mesmo nível que eles. A sociedade pagará o preço quando alguém é educado achando-se o centro do universo.

24. Filhos drogados são aqueles que sempre estiveram no topo da família.

25. Cair na conversa do filho é criar um marginal. Filho não pode dar palpite em coisa de adulto. Se ele quiser opinar sobre qual deve ser a geladeira, terá que mostrar qual é o consumo (KWh) da que ele indicar. Se quiser dizer como deve ser a nova casa, tem que dizer quanto isso (seus supostos luxos) incrementará o gasto final.

26. Dinheiro 'a rodo' para o filho é prejudicial. Mesmo que os pais o tenham, precisam controlar e ensinar a gastar.


25 de abr de 2011

Sorteio...participem...

E lá vem presentinho...mas tem que participar do sorteio
no blog da minha irmã Madeira Tinta e Arte, basta vc ser
seguidor ou seguidora para participar...
CLIQUE AQUI



21 de abr de 2011

Adaptação na escola

A adaptação de uma criança de 2 a 3 anos a uma escola dependerá mais da atitude do pessoal docente e dos cuidadores do que da criança. Ela não sabe que vai à escola, mas o pessoal da escola deve estar preparado para recebê-la. Além disso, este trabalho de preparação deverá ser compartilhado com os pais.

Atitudes da educadora

- Ao encontrar-se com a criança: aproximação, respeito, afeto, sem ansiedade nem agonia.

- Conhecimento do nome da criança antes da sua chegada à escola.

- Criação de um clima de segurança afetiva individual e coletiva.

- Deve manter tranquilidade diante de manifestações de falta de adaptação da criança (dengos, raivas, choros, falta de apetite) mas sem abandono.

- Atenção individualizada, mas não exclusiva, sobretudo nos momentos cotidianos de: chegadas, despedidas, refeições; compreendendo como momentos de grande importância para a relação individual-afetiva com a criança (tratando de evitar a pressa, agonia, nervosismo, etc.).

- Conhecimento da criança através de: entrevista com ao pais, observação da criança e de suas reações diante situações cotidianas da escola.

Adaptação ao grupo

- Na medida em que se vá adaptando, organize atividades para que a criança se ponha em contato com o resto do grupo: conhecimento dos nomes das outras crianças.

- Conhecimento da etapa evolutiva pela qual atravessa a criança, entendendo o egocentrismo característico desta etapa, ajudando-a a superar por meio de atividades em grupo, que aprendam a compartilhar o material (“nem tudo é meu”) e a cuidá-lo e guardá-lo.

- Tente com que a criança canalize a agressividade surgida em situações de compartilhamento, buscando fórmulas alternativas (“não pegue este brinquedo do seu amigo, pegue outro da estante”).

- Entenda a conduta agressiva da criança como uma forma de relação normal nesta idade e principalmente no período de adaptação. Este limite deve ser imposto por parte da educadora de uma forma não agressiva e sem tensões, igualmente ao restante dos limites.

Adaptação ao novo espaço

- Conhecimento do espaço-classe: objetos, enfeites, móveis.

- Conhecimento do material.

- Conhecimento do banheiro.

- Conhecimento do pátio.

- Conhecimento do refeitório.

- Conhecimento da enfermaria.

Relação com os pais

- Dar confiança e segurança aos pais.

- Entrevistas (também como forma de conhecer aos pais e ver a relação que têm com seus filhos).

- Procure que as entradas e saídas sejam menos conflitivas possíveis: paciência com os pais.

- Ponha limites claros aos pais desde o princípio (pontualidade, roupa marcada, que no princípio não entrem muito nas salas) evitando os enfrentamentos.

Nota: Explique sempre à criança todas as situações novas que vão viver: situações cotidianas, atividades, entrada, saída, jardim, refeição, descanso, etc.


FONTE
http://br.guiainfantil.com/
http://br.guiainfantil.com/adaptacao-escolar/78-adaptacao-de-criancas-com-2-e-3-anos-.html
http://br.guiainfantil.com/adaptacao-escolar.html

Coelhinhos com chupetas

Fiz os coelhinhos estavam ainda inacabados, infelizmente não tenho as fotos deles prontos ...Ficaram lindinhos‼‼



18 de abr de 2011

Cartões páscoa.

Achei na net estes cartões...imprimi e vou dar junto com as lembrancinhas...
É a prova...nada se cria tudo se copia...


25 de mar de 2011

Caranguejo NÃO é peixe....Não mesmo!!!

17 de mar de 2011

Meus lindinhos



12 de mar de 2011

Para a sala de aula.

Ficou uma graça!!...Fiz para a minha sala de aula.







Cobre Bolos Bordado.


Nem sei qual é o nome exato para este utensilio...Acho que é cobre bolos...
Foi numa tarde chuvosa de domingo que fiz este para minha cunhada,sem nada para fazer e aquela coceirinha de siricutico de quem não sabe ficar quieta e simplismente assistir TV.
Fiz com linha d crochê, ficou bem simples pq não segui nenhum gráfico!!! Mas para quem quer se arriscar dá para deixar bem estiloso, com pedras e miçangas fica lindoooooo

9 de mar de 2011

Leitura e Escrita

Mais uma atividade da parlendinha do caranguejo.





6 de mar de 2011

Parlenda

Está atividade faz parte da Sequencia de atidades com parlendas que estou desenvolvendo com mina turminha de PRÉ ll- 5 anos.
Òtima esta atividade, ela pode ser realizada em 2 momentos.
No primeiro momento realizar a leitura da parlenda com a turminha.
No segundo momento realizar a ordenção.

Não desisto nunca


Nossa...muito tempo que não passo por aqui.Eu até estava á desistir desse meu bloguinho, maassss como sou brasileira, não desisto nuncaaa....e para começar com alegria aqui está uma máscara do Batman que eu mesma preparei para o meu filhoteThiago.
Ele queria uma fantasia do Batman, Sabe como é criança, pediu demorei á comprar, na verdade nem ia comprar....aí veio a febre...pois é febre intermitente, o jeito foi comprar uma fantasia cara, de ultima hora caríssima e sem a máscara. O importante é que a febre foi-se e o garotinho da mamãe etá todo feliz com a fantasia.